MÃE DE CORAÇÃO, MÃE COM AMOR

por Maria Júlia Freitas

Por Aline Reis

Você já ouviu falar em “filhos adotivos”, certo? Mas já ouviu falar no
termo “adoção necessária”? Este é um termo genérico, que se usa para
designar adoções de crianças e adolescentes, cujos perfis estão entre os
menos procurados para essa finalidade pelos pretendentes; são crianças ou
adolescentes que têm menos chances de serem adotados. Não é difícil ouvir o
discurso de falta de esperança da parte deles. E com toda razão, afinal,
querem reconstruir suas vidas de maneira diferente, com uma família que
possa lhes dar amor.

Aline Reis e sua família

Eu sou mãe de coração, mãe de dois adolescentes que estão conosco
desde dezembro/2022. Ser mãe de adoção necessária, também conhecida
como adoção tardia, é uma experiência única e emocionante: o amor
transcende qualquer barreira de idade. Ser mãe de adolescentes, ou melhor,
ser mãe de coração, é uma experiência única e enriquecedora. Eles chegam
para preencher um vazio no coração e isso é algo que só quem vive pode
entender. Ser mãe de coração, acolhendo e amando esses jovens como se
fossem seus filhos biológicos é um privilégio sem igual.

Cada conquista deles nos enche de orgulho e gratidão, é uma sensação de que vamos seguindo no caminho certo, porque sabemos que criar e educar filhos não é como uma receita de bolo. Tantos filhos você tiver, quantos modos de educar você terá, porque cada um é de um jeito, traz uma personalidade e você só quer que eles
sejam felizes, encaminhados na vida, que se deparem com oportunidades que
dificilmente teriam em suas vidas e que possam aproveitá-las da melhor forma.
Ser mãe de adoção tardia é abraçar a oportunidade de transformar vidas e
construir laços verdadeiros.

Ser mãe

Ser mãe, nessa condição, é ter a certeza dos desafios e recompensas
inigualáveis, assim como acontece com o fato de ser mãe biológica, que só
quem vive essa jornada pode compreendê-la verdadeiramente. A jornada pode
ser desafiadora, mas a recompensa de ver esses jovens crescerem e se
desenvolverem é indescritível. Ser mãe de adoção tardia é um verdadeiro ato
de amor e coragem, que transforma vidas e ensina lições valiosas. Afinal, o
amor não tem idade. Ser mãe de coração é uma jornada que transcende as
convenções tradicionais da maternidade. Quando decidimos abrir nossos lares
e corações para crianças que, muitas vezes, foram negligenciadas, estamos
também abraçando a oportunidade de fazer a diferença de uma maneira
profunda e significativa.

Ao longo desse processo, aprendi que ser mãe vai além dos laços de
sangue. É sobre estar presente nos momentos difíceis e nos triunfos, é sobre
oferecer um porto seguro em meio às tempestades da vida. Os desafios podem
ser únicos, mas as recompensas são imensuráveis. Ver meus filhos crescerem
e florescerem diante dos meus olhos é uma alegria que não pode ser descrita
em palavras.


Educar adolescentes que tiveram trajetórias complexas requer uma dose
extra de paciência e compreensão. Cada dia traz novos aprendizados, novas oportunidades de fortalecer os laços familiares e construir memórias
duradouras.

Nessa jornada, descobri que ser mãe não é apenas um título, mas sim uma
vocação de amor e dedicação. E mesmo nos dias desafiadores, quando as
incertezas pairam no ar, o amor que nutrimos por nossos filhos nos guia e
fortalece. A maternidade adotiva é um testemunho vivo de que o amor
verdadeiro não conhece limites de idade ou origem, mas apenas o desejo
sincero de fazer a diferença na vida de alguém.

Você pode gostar

Deixe um comentário