A arte tem asas, e em Volta Redonda o palco tem rodas

por Maria Júlia Freitas

 

Uma das primeiras formas de expressão humana é a manifestação artística, com registros de até 30 mil a.C. Tais manifestações eram utilizadas como rituais e não como objeto de contemplação, porém, a partir do momento em que o homem fixa moradia em determinados locais, também começa a desenvolver formas mais complexas e variadas de se expressar. Por ser uma forma de comunicação universal que transcende barreiras linguísticas e culturais, ultrapassou as comunidades onde eram produzidas, chegando a novos povos e proporcionando uma troca de saberes culturais, o que hoje chamamos de multiculturalidade. Ao entrarmos em contato com uma nova cultura ou linguagem cultural, desenvolvemos uma nova maneira de olhar para o mundo e para o que temos de mais profundo em nós mesmos. Por isso, a cultura pode ser material ou imaterial, porque vai além do palpável, do mensurável e do imutável. 

Na coluna de estreia deste portal, já falei sobre como o estímulo pode desenvolver habilidades e, em termos de comunidades brasileiras, podemos dizer que a arte tem papel importante no despertar político, afetivo e social, o que nos leva a uma esfera de necessidade básica para toda e qualquer pessoa. A pandemia de COVID que a humanidade teve que enfrentar nos mostrou, de forma muito específica, que o isolamento social só foi possível, em termos psicológicos, por termos acesso a filmes, séries, shows, novelas, livros etc. E isso só reforça a necessidade que nós temos de nos expressar e viver sob a influência da arte.

A nossa constituição garante a todos “…o pleno exercício dos direitos culturais e acesso às fontes da cultura nacional, e apoiará e incentivará a valorização e a difusão das manifestações culturais…”. E Volta Redonda, através do projeto Palco Sobre Rodas, leva pra além da região central da cidade muita arte dos mais diferentes tipos de expressão, toda semana. O palco itinerante leva pra 50 bairros diversas atrações artísticas gratuitas para a população, como teatro infantil e juvenil, malabares, palhaços, ventríloquo, mágico, pintura de rosto e show musical. 

Cia Teatral Granada, que estará participando do Palco Sobre Rodas.

Com o patrocínio da Light, o projeto acontece devido à aplicação da Lei de Incentivo à Cultura do Governo do Estado do Rio de Janeiro, através da Secretaria Estadual de Cultura e por meio da Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura de Volta Redonda. Isso mostra, na prática, a importância das Leis de Incentivo à Cultura, tão estigmatizadas em tempos de polarização. Investir em cultura é um vórtice de ganhos, porque as leis de incentivo permitem que as empresas patrocinadoras deduzam de seus impostos o valor que aplicam na cultura local. Ganham as empresas, ganham os artistas e ganha a sociedade que se torna mais contestadora, sensível e diversa. Com asas ou sobre rodas, a cidade de Volta Redonda está mais feliz com este projeto. Que seja exemplo para toda a região.

Acompanhe as duas últimas apresentações do projeto:

Data: 27/09 Quarta feira

Local: JARDIM CIDADE DO AÇO Rua Frei Henrique Soares, na Praça

Data: 28/09 Quinta feira

Local: JD. BELVEDERE /RESIDENCIAL MATA ATLÂNTICA / SAMÔA /CIDADE NOVA/VILLAGE SUL/VIVENDAS DO LAGO Em Frente ao shopping Belvedere

 

Você pode gostar

Deixe um comentário